23
Set 16

e assim de repente...

... quando dás por ti, tens 4 empregos!

 

No meio disto tudo, palpita-me que daqui a uns tempos, só não corto os pulsos por falta de tempo na agenda.

 

 

publicado por angelasoeiro às 00:14 | comentar | favorito
19
Set 16

Lição de humildade em 5 min (ou menos)

 - Boa tarde, desculpe, só queria perguntar se não ficou, por acaso aí um frasco de gel de banho esquecido?

Senhora da limpeza com ar humilde - Boa tarde. De que marca?

 - Errr... é um frasco azul.

Senhora da limpeza com ar humilde - Sim, mas de que marca era o gel de banho?

 - Era de uma marca estrangeira, provavelmente a senhora não vai entender ou conhecer.

Senhora da limpeza com ar humilde - Encontrei no balneário 2 frascos de gel de banho. Azuis. Um da Nivea e outro da Yves Saint Laurent. Como o senhor deve pressupor que eu sei dizer Nivea, o seu deve ser o outro. Aguarde que eu vou buscar!

 

Piiiiiiiiimba!

É que adorei!

publicado por angelasoeiro às 17:27 | comentar | ver comentários (6) | favorito (1)
27
Ago 16

Percebes que estás uma mulher crescida...

quando os teus desejos de consumo são uma mandolina, uma cataplana e um tabuleiro de ir ao forno 30x20cm.

 

Tristeza

publicado por angelasoeiro às 19:29 | comentar | favorito
26
Ago 16

... Mas depois há as outras pessoas

Aquelas que mesmo estando assim longe em termos de distância em km's estão assim muito pertinho do coração. Aquelas que nos dizem que acreditam em nós e que estão lá para levar com os nossos desabafos e frustrações.

Aquelas que nos cedem tempo, ouvidos e uma impressora, como foi o caso hoje. 

Ya... eu, apesar de tudo, tenho as melhores amigas do mundo. :)

publicado por angelasoeiro às 18:23 | comentar | favorito

Auto responsabilidade

Quando resolvi lançar-me por conta própria na minha área profissional sabia bem que iria ser necessária muita presistência, sabia que não ia ser fácil, iria ser necessário muito trabalho e que as desilusões iriam fazer parte. Porque os processos demoram, porque nada nunca corre ao ritmo que desejariamos e porque há pessoas envolvidas. E as pessoas, sejam quem forem, tenham connosco o vínculo que tiverem (familia, amigos, colegas...), muitas vezes desapontam. É inevitavel e eu sabia. 

Não sabia (ou não queria saber) é que iria ser tão frustrante. Tão destruidor.

Em conversa com uma amiga há uns tempos, dizia-lhe que me sentia sem apoio e ela responde-me: ''Demitiste-te de m emprego certo para te lançares por tua conta, sozinha e estavas à espera de quê?'' Senti isto que ela me disse como uma crueldade. Estupida nojenta, claro que estava à espera de outra coisa... afinal de contas, deram-me força quando tomei a decisão, disseram que me iam apoiar e que eu era capaz e coiso... 

Pois. Só que não.

E uma das coisas que aprendi com isto, é que sim, devemos contar connosco e que há gente que se revela. E isso sempre serve para vermos quem e o que é que já não nos serve mais. Serve para aceitarmos as nossas pessoas e deixar ir quem não faz parte. 

Não queria de todo que este post parecesse rancoroso ou amargurado, uma espécie de queixume do ai de mim que são todos maus e coiso... não se trata disso.

Trata-se apenas de percebermos que a jornada é nossa. Que não devemos colocar nos outros a responsabilidade do nosso caminho. E que tudo o que nos afasta daí, não é para mantermos na nossa vida. 

 

publicado por angelasoeiro às 11:57 | comentar | ver comentários (2) | favorito (2)
25
Ago 16

.. ah e já agora...

... novidades na blogosfera?

Que blogs é que se lê, o que é que está na moda e tal...? Vá, sejam amigos e ponham-me a par

publicado por angelasoeiro às 17:38 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Olha quem é ela...

Pois... vamos lá tentar outro regresso. Não prometo assiduidade ou muita coisa a dizer. Não por falta de novidades mas sim por uma auto-censura estupida que ultimamente me atazana a cabeça e os dedos na hora de escrever aqui o que quer que seja.

Além disso, nos ultimos tempos, não andei assim muito ''prófeliz'', e como de tristezas está o mundo cheio, achei sinceramente que as minhas não iam acrescentar muito de novo, portanto resolvi ficar quieta.

Depois veio o Verão, a silly season e eu andei em silly days que também me eram precisos. E no meio deles os 30. E com os 30 as questões existenciais e coiso...

Mas vem aí Setembro.

O meu mês preferido.

O mês de recomeços. O mês do Outono. Da esperança renovada. O mês que cheira a castanhas, a terra molhada, a livros novos e das páginas em branco.

 

 

 

publicado por angelasoeiro às 15:39 | comentar | ver comentários (3) | favorito
12
Mai 16

...

Há alturas em que tudo o que eu queria era ter um botãozinho On/Off

Porque há alturas em que respirar também dói. Também cansa

 

publicado por angelasoeiro às 16:07 | comentar | favorito (1)
19
Abr 16

Das mudanças e da coragem

No incio de 2016, dei inicio a mais uma mudança na minha vida.

2015 já não foi fácil nem parco em mudanças. Muito pelo contrário. O final de um relacionamento de vários anos. Uma casa nova, rotinas novas e pessoas novas na minha vida. Ainda mal refeita das mudanças, e com a entrada de uma pessoa nova na minha vida e com ela um novo folego, achei que estava na hora de completar a mudança. Desta vez em termos profissionais.

Demissão apresentada, criação do próprio emprego. E agora, algum receio e borboletas na barriga e muitas duvidas, muitos medos... mas muita gratidão também. E esperança. 

Olho para a minha vida há 1 ano e meio para traz e não é em nada igual aos dias de hoje. Não tem as mesmas pessoas em algumas áreas, nem os mesmos locais em quase todas elas. Eu própria vejo-me a tomar posturas e a por em prática lições que naquele tempo seria impensável. Eu própria mudei com a vida que decidi mudar (perdoem o pleonasmo mas é verdade). E dada esta fase inicial, em que o retorno ainda é lento, em que tudo está no começo, as arestas têm que ser limadas, o corpo, a cabeça e tudo o resto tem que ser moldado, e as rotinas têm que ser definidas, tomo como normal todos os medos, os desanimos e receios.

Por outro lado, apesar de todas as dificuldades, confesso que não me arrependo de nada. De ter virado a mesa, de ter deixado um emprego certo, de ter arriscado.

Estou grata todos os dias pela coragem e pelas decisões que mudei. Ainda que em alguns deles me sinta completamente perdida, amedrontada ou ansiosa.

 

publicado por angelasoeiro às 18:46 | comentar | ver comentários (2) | favorito
18
Abr 16

...

Perdi a conta às vezes que já abri a caixa de posts deste blog e não me saiu nada. Não consigo falar ou escrever sobre o que sinto, não como se não tivesse nada para dizer [porque na verdade tenho], só não sei como o fazer, por onde começar, ou até mesmo o que dizer que no meio do emaranhado que me vai na cabeça e no peito as coisas perdem-se, anulam-se umas às outras, outras vezes sobrevalorizam-se. Uma verdadeira confusão que me faz ir pelo caminho mais fácil: O calar. A verdade é que passei tanto tempo a minimizar os meus problemas ou dramas, acreditanto que eu era mais forte, que agora desaprendi a falar sobre eles. Como se, ao não dizer o que sinto ou o que quero, fosse fazer com que, com a ajuda do tempo eles desaparecessem ou eu me esquecesse deles. Como aquela blusa que vemos numa montra, queremos muito, mas se a deixar-mos lá, ao fim de algum tempo ela já nem era assim tão gira. 

Não funciona.

Há um dia em que as coisas se agigantam, tornam-se maiores do que nós e nos vencem. E já são tantas que se tornam indistinguiveis entre si.

 

 

publicado por angelasoeiro às 16:00 | comentar | ver comentários (2) | favorito (2)