Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por cá...

Por cá...

Dei por mim a pensar...

 

   Quem me dera ter a capacidade de ficar surda apenas por alguns momentos... muito breves!

 

                    Quando o meu patrão abre a boca por exemplo!

Beleza?! Será?

 

Andava eu a navegar na internet e encontrei esta foto! Não me perguntem o contexto porque já nem sei, esqueci tudo e fiquei a 'contemplar' a dita á procura talvez de uma justificação para a moça estar num desfile de moda!!

 

Não seria suposto a moça da imagem ser MODELO?

Ora um modelo define um padrão a seguir, algo mais ou menos ideal certo?!

A moda é cada vez mais tomada como parte importante da nossa sociedade. Cada vez mais ficamos atentos a tudo o que diz respeito a este tema, cada vez mais tomamos como importante a nossa imagem e a moda. Por isso os Senhores que põem moças assim a desfilar deviam ter um bocadinho mais de cuidado! Deviam ter mais consciência da responsabilidade que têm e da influência que exercem sobre as moças e moços que também querem ser modelos!

Porque não mudarmos os nossos padõres? Assim em vez de idealizarmos um monte de pele a forrar ossos, porque não idealizarmos algo que transpareça saúde e bem estar? Coisa que a moça da foto não deve conhecer!! E ela de certeza que sabe que é assim...

 

Daqueles dias...

(retirada da internet)

 

'Que caia um muitão de chuva, até chover dentro de mim, pingar-me os tectos da cabeça, me aguar o coração e eu sentir que Deus me está lavando das poeiras que a vida me sujou.'

Mia Couto - Contos do nascer da Terra

 

 

Hoje é um daqueles dias em que me apetecia sair e andar pelas ruas, sem falar com nunguém, sem ninguém falar comigo... Sair e andar em monólogo, só eu! Na minha unica companhia!

Deixava-me ir para onde os meus passos me levassem, conduzida pela vontade de estar comigo!

Só hoje, porque eu sei que não sou capaz de estar sozinha muito tempo!

 

A inveja é uma coisa tão feia...

 

Em conversa, enquanto degustava uma (grande) fatia de bolo:

 

T. Ainda andas a comer?

Eu. Sim, ainda não tinha provado o bolo!

T. Come! Estás magrinha!

Eu. Pois!

T. Não sei como é que não engordas com tudo o que comes!

Eu. Pois, nem eu!

T. Devias fazer umas análises! Talvez se passe alguma coisa!

Eu. Ai credo! Pára! Como e não engordo, pronto! Simples! Fiz as análises à pouco tempo e estava tudo bem!

T. Pode ser tiróide!

Eu. ...

T. É que estás mesmo magrinha, podias engordar um bocado que não te fazia nada mal!

Eu. ... .... ...

T. Até te ficava bem!

Eu. Olha, chega aí o pão!

T. Vais comer pão?

Eu. INVEJOSA!!!

 

A culpa é do meu metabolismo acelarado!!

Gelado de Verão...

Desde  pequena (não é que eu seja muito grande!) que eu adoro o Verão! o que não deixa de ser estranho porque todas as catástrofes que aconteceram nesta minha ainda curta vida, aconteceram durante o verão!

Mas adiante, 'eu gosto é do Verão!' Digo isto porque está um dia lindo lá fora e hoje deu-me para me lembrar desta estação e ficar assim... Nostálgica e ansiosa que ele chegue!!

   Comecei a lembrar-me das bincadeiras até tarde na rua, os dias passados na praia entre correrias, gritos e banhos de mar... ver a rede ser arrastada na areia, a minha mãe sentada sempre atenta, os gelados ao fim da tarde, os dias passados descalça a sentir o calor do chão do pátio da nossa casa...

   Depois, já mais tarde, as saídas com os amigos, as conversas até tarde na esplanada acompanhadas com os sumos do bares de praia...

   O cheiro a mar, o calor da pele queimada, o sabor salgado da pele, o pôr do sol na praia, os passeios... Sinto mesmo saudades do Verão, da praia...

 

A seguir fica a letra de uma canção que me faz lembrar o Verão, o P., a praia...

 

 

Humanos - Gelado de Verão

 

Foste a razão da viagem de umas férias para fugir

Foste a razão da viagem de umas férias para fugir

Encontrei-te na paragem, no descer e no subir

 

Dei o teu nome a toda a gente e a todos te quis chamar

Dei o teu nome a toda a gente e a todos te quis chamar

Dei a tua voz ao vento e ao movimento o teu andar

 

Foste a frescura da minha sede

Andei contigo na minha mão

Foste a frescura da minha sede

Andei contigo na minha mão

Pintei a boca de rosa e verde

Foste o gelado do meu verão

 

Foste a sombra do momento, tentação a experimentar

Foste a sombra do momento, tentação a experimentar

Foste a luz do salvamento do regresso ao meu olhar

 

Tu foste em todas as formas um país que eu nunca vi

Tu foste em todas as formas um país que eu nunca vi

Venho sonho dos meus olhos e eu só te vi a ti

 

Foste a frescura da minha sede

Andei contigo na minha mão

Foste a frescura da minha sede

Andei contigo na minha mão

Pintei a boca de rosa e verde

Foste o gelado do meu verão

 

Teu corpo foi minha toalha, foste o Sol da minha cor

Teu corpo foi minha toalha, foste o Sol da minha cor

Foste o mar da minha praia, tu foste o meu bronzeador

 

Foste a frescura da minha sede

Andei contigo na minha mão

Foste a frescura da minha sede

Andei contigo na minha mão

Pintei a boca de rosa e verde

Foste o gelado do meu verão

Saudades...

 

   Às vezes em silêncio, os meus pensamentos procuram-te e quando te encontram, o tempo gela. Canções tristes invadem-me a alma e a saudade torna-se senhora de mim...

   As estrelas perdem-se no céu quando a noite e a saudade se tornam grandes demais... fico a tentar suporta-las mas acabo por render-me quando os meus pensamentos me fogem e vão de encontro às lembranças que tenho de ti, de cada gesto, cada olhar, cada palavra...

   Queria tanto que estivesses aqui! Foste-te embora cedo demais, fiquei sem ti cedo demais... Tenho tantas coisas para te contar!

   Se eu pudesse voltar atrás, só para te dizer aquilo de que hoje me arrependo de nunca te ter dito: Que eras a melhor mãe do mundo!

   Já é tarde para to dizer agora?!

Grrrr....

(retirada da internet)

Hoje não falem comigo ok?! Estou furiosa!!

E não quero dizer porquê!! Não quero sequer pensar nisso!! Só quero virar a mesa, mandar tudo pó camandro e bazar!!!

Que se dane tudo... Era o que deveria ter feito logo no ínico... Que ingenuidade a minha!!

Só para desabafar ok?!

As árvores andam aí...

 

 

9 da manhã... Segunda-feira, dia 17 de Março... Chego para trabalhar e mal entro no escritório aparecem duas pessoas com um ar muito esquisito...

 

- Então muito bem, querem fazer a participação de um sinistro?!

 

- Sim menina, este senhor veio contra mim... Eu ia na passadeira, já nem na passadeira andamos seguros! É com cada um na estrada...

- Minha senhora, eu já lhe pedi desculpa, não foi minha intensão... Trabalhei toda a noite, ia para casa muito cansado!

- Se não estava em condições de conduzir, não pegava no carro...

 

- Pronto, pronto... Vamos ter calma; contem lá como foi para fazermos isto da melhor meneira possível!

 

- Já lhe disse, o homem veio contra mim quando eu ia na passadeira!

-Minha Senhora, deixe-me falar com a menina!!  Menina, eu ia a conduzir normalmente quando vi a àrvore e para não bater na àrvore bati na senhora!

 

Ahhhh??? Logo na segunda de manhã?! Será que eu mereço??? 

Inseguranças...

 

 (retirada da internet)

 

Sempre fui um pouco insegura e sempre duvidei das minhas capacidades, não que me considere incapaz ou assim. Não, nada disso... Pode-se chamar falta de auto-estima.

 

Encontro-me num trabalho numa àrea da qual vim a descobrir que gosto, mas numa situação não muito compensatória, como milhões de portugueses... O salário baixo, a insatisfação, as poucas probabilidades dessa situação vir a mudar...

Agora imaginem que vos aparece uma nova oprtunidade, que se a agarrarem podem conseguir  mudar tudo... Podem progredir, ter mais liberdade, uma situação financeira melhor...  A probabilidade de dar certo dependem muito de nós. Não perderiam nada em tentar, e se realmente conseguissem só teriam a ganhar com isso!

Para isso apenas têm que revirar a vossa vida toda, saltar fora do emprego que têm, rumar por vossa conta e risco e lutar para que dê certo...

 

Eu tenho medo destas mudanças todas, tenho receio de falhar e depois dou comigo a pensar:

'- Ah, Ângela, quanta coisa perdes com medo de perder!'

 

Mesmo sabendo que é possível, mesmo acreditando que posso ser capaz, mesmo tendo consciência que seria um bom caminho a seguir, não deixo de ter receio, nem deixo de pensar na possibilidade de desistir agora, mesmo antes de ainda ter começado!

 

Nunca compreendi muito este meu medo da palavra 'Arricar'.

 

 

 

 

Imaginem...

Imaginem que trabalham numa cidade com praia... De manhã quando saem do carro para o vosso cafézinho antes de entrar no escritório sentem o cheirinho a mar, o sol a bater na cara... enfim...É tão bom! Pena que a seguir nos vamos enfiar numa qualquer sala cheia de papéis e telefones e pc's...

 

 

Pág. 1/2