Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por cá...

Por cá...

Ora bem...

A Ângela não vem cá debitar votos de um bom ano e etc e tal, nem vai aos vossos estaminés porque aconteceram umas coisinhas um tanto ou quanto (muito) chatas na vida da Ângela... assim para acabar bem o ano. E essas coisinhas muito chatas fizeram com a que a Ângela se sentisse de uma forma que nem ela sabe bem definir...

 

Anyway, a Ângela espera que todos tenham um bom reveillón e que 2009 seja um ano bem melhor que 2008 e um tantinho pior que 2010 (já que se está numa de votos)!!

 

   E agora ela vai assoar o nariz, tomar um Cêgripe, e voltar ao trabalho que o cab**o do patrão dela aproveitou-se da situação chata da moça para a obrigar a trabalhar até às 19h.

   Vamos ver se ela não se queixa muito dos hematomas que tem espalhados ao longo de todo o corpo e que lhe provocam dores horríveis. Vamos também esperar que ela consiga esticar um braço sem pensar que está a praticar algum desporto radical.

   Enfim, vamos esperar que a Ângela tenha um 2009 bem melhor que 2008 (também não é preciso muito, já que 2008 não foi grande coisa!!) e que melhore depressa. :)

 

   E que as forças policiais encontrem e castiguem o filho da p*ta que a roubou e que a espancou à porta de casa!!

 

E pronto, e basicamente isto que eu tinha para dizer!

Bem, agora vou indo... portem-se bem!

Abraço e Beijinhos para a Ângela!

 

P.S: Perdoem-lhe o post narcizista, mas ela precisa de miminhos

 

Pronto... tá bem

Personalidade do Caranguejo: "Amem-me"

 

Os Caranguejos querem proteger e salvar o mundo. Não se metam com eles, são ferozes. Defendem os seus direitos, e os direitos dos seus amigos, a qualquer custo. Homens ou mulheres, os Caranguejos são "mães". Caranguejo e o signo de casa, mãe e tarte de maçã. Os Caranguejos são intuitivos (até psíquicos) e utilizam as suas emoções como um conjunto de roupa. São regidos pela Lua. A disposição de um Caranguejo muda como uma vela que se derrete e se esvanece. Riem num minuto e no outro estão a chorar e sentimentais. Nunca sugira a um Caranguejo que se livre das coisas que estão no sótão há décadas, porque lá dentro está o resto de tecido que a avó utilizou para fazer o seu vestido de casamento. Não tem sentimentos pela História? Os Caranguejos adoram História, e lembram-se de tudo. Pergunte-lhes sobre o seu primeiro dia de escola (se tiver muito tempo a dispender), e eles lembrar-se-ão de todos os detalhes, até às pequenas meias que usaram e do momento em que as suas mães realmente os deixaram lá. Os Caranguejos têm uma ligação especial com as suas mães. O facto de a mãe o ter deixado sozinho na escola pode ser a razão de ser tão emotivo e sensível actualmente.

 

AMIZADE
Um amigo em dificuldades é realmente um amigo. Os Caranguejos virão sempre em nosso auxílio. Não conseguem dizer não, mesmo se fôr para carregar 100 kilos através do deserto. Eles ajudam os seus amigos, mas isso é só porque se preocupam demasiado. Todos deveriam ter um ou dois amigos Caranguejo. Em retorno, os Caranguejos esperam que os seus amigos estejam lá quando a sua depressão os atingir. Se não estivermos por perto quando eles precisam, sentir-se-ão pessoalmente rejeitados.

 

AMOR
Os Caranguejos casam para a vida. O seu instinto natural é ter filhos, muitos filhos, portanto o casamento é mesmo importante. No vosso primeiro encontro, o Caranguejo perguntar-lhe-á se preferem casamentos de Junho ou Dezembro. Os Caranguejos são engraçados e sensuais. Mas retiram-se para as suas carapaças e atingem com as suas garras quando se sentem injuriados (e eles sentem mais do que qualquer outro). Precisam de ser o Número 1. Trate-os com gentileza. São mansinhos quando se trata de amor.

Balanço sobre mim

Dei por mim a pensar sobre mim. Devido a situações que têm surgido no meu trabalho e reparei no poder que têm as palavras! Pensei no seu efeito sobre mim. E concluí que sem dar conta me fui construindo com base em palavras que ouvi. Se foram certas ou erradas no momento errado ou certo, isso já não interessa... Sei que tiveram um efeito em mim e agora eu sou o espelho daquilo que aprendi com elas!

   Quem me conhece bem (e só quem de facto me conhece mesmo bem) é que sabe algo mais sobre mim! Porque quem me conhece apenas nos 'minimamentes' pouco ou nada de relevante sabe a meu respeito! Não desabafo, não conto, não partilho! Sou de conversa fácil, sou de riso mais fácil ainda, mas não sou de desabafos!

Uma vez, chorava eu desesperadamente, e entre soluços iam brotando mágoas, desesperos, injustiças... quando ouvi: 'Não te faças de vítima!' Engoli tudo de novo! Não chorei mais! E como nunca mais ninguém soube nada do que se passava na mente da criança que tinha perdido a mamã à pouco tempo, levaram-me à psicóloga! Confiava naquela mulher como em mais ninguém! Partilhava tudo com ela. Segredos, mágoas, objectivos, paixões... até ao dia em que ela me disse que precisava de falar com o meu pai. E quando ele chegou a casa sabia de tudo!

E mesmo acreditando que ela não o tenha feito intencionalmente, ou melhor, acreditando que a intenção não seria de todo má ou perversa, mas sim a de ajudar, mesmo assim, nunca mais lá voltei...

   Fui aprendendo a contar apenas comigo. A confiar apenas em mim! Aprendi a controlar as situações e a não deixar-me controlar por elas... Planeio tudo, não deixando escapar nada. Exigindo sempre tudo de mim mesma! Acreditando no que 'é' e descartando o que á partida 'poderá não ser'. Poderão dizer que deveria ser mais inconsequente. Que as melhores coisas perdemos por medo de perder... e eu acredito. 

   Sou de extremos. As cores para mim dividem-se em preto e em branco! Ou se está contente ou triste... o equilibrio é igual a zero. Representa para mim a  estagnação! Não acredito no 'assim-assim' e nem no 'quase'!

   Uns chamam-lhe arrogância, outros carisma, personalidade forte, força... eu cada vez mais acredito que é cobardia!

Paradoxos...

 

Quando o nosso patrão dá contribuições monetárias ao moço dos CTT, ao distribuidor de Jornais, à moça da cafetaria... enquanto que à funcionária dá PEVAS... e trabalhinho no dia 24!

A sério... qual é a sensação de receber alguma coisinha... tipo, subsidio de Natal e essas coisas???

É por isso que enfeites natalicios me provocam urticária

9:45h. A manhã avizinhava-se tranquila...

Olho os vidros do escritório e apercebo-me que os ditos estavam imundos! Pano, detergente, escova e jornal em riste e começo a àrdua tarefa de limpar aquilo e deixar tudo a brilhar!

 

11.45 termino. Já sem sentir os braços mas cheia de orgulho, pego no material todo para guardar quando ouço a voz do boss:

 - Ahh, por falar em vidros, comprei um frasquinho de neve para desenhar 'Feliz Natal' e coisinhas nas janelas!

 - Ahh???? WTF? Errr... (não comentei... limitei-me a estarrecer!)

 - Toma lá a neve que enquanto vou aos ctt e ao banco ficas tu a fazer isso, está bem?

E é aí que eu tenho uma ideia  Toca a despejar a neve toda na árvore de natal, com o pretexto de que uma àrvore de natal tem que ter neve... fica mais bonita e tudo... (E por acaso ficou mesmo :D!)

 

Eis que ele volta:

 - Sr. J. a neve já acabou... ou então o frasco não funciona...  Eu aperto a tampa e não sai nada!!

 - Deixa-me ver! ... Pois é! Porra! Olha Deixa lá...

(E aqui a Ângela pensa no seu íntimo: wheeeeee)

 

Pausa para almoço!

Às 14 h...

 - Boa tarde Angela!

 - Boa tarde Sr. J.

 - Olha, comprei outro frasquinho de neve, maior que o outro!

 

 Dasss...

Agora não me incomodem que eu vou borrar os vidros que passei a manhã toda a limpar!!!

E quando acabar, vou fazer uma pausa para tentar decidir qual dos pulsos corto primeiro!!

Pág. 1/3