Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por cá...

Por cá...

Nova modalidade: Tiro ao step

Ontem, saí do trabalho e tremia por todos os lados.

Foi um daqueles dias para esquecer. Resolvi portanto ir à ginástica (já vos disse que pago 2.50€/ mês e tenho aulas duas vezes por semana?! Vá, roam-se todos de inveja... nha nha nha). Cheguei lá pronta a deitar o stress todo cá para fora junto com o suor...

Só que a treinadora resolveu levar esta minha pretensão à letra... escusado será dizer que a minha vontade deixou de ser a de exorcisar o stress juntamente com o suor... mas sim descarrega-lo directamente na professora! Vigorosamente!

Velinhas, Incenso e Orações aqui p'ra menina vá...

Na semana passada cheguei ao meu carro e faltava o espelho retrovisor do lado direito.

Atirei uns quantos palavrões ao ar.

Roguei umas pragas feias ao espécime que fez aquilo.

Derramei uma ou duas lágrimazitas e a coisa foi...

 

 

Hoje ao entrar na A29, levam-me o espelho do lado esquerdo!

 

62€ de prejuízo para os dois espelhos e ainda falta o que vou gastar na macumba! É que eu tenho a certezinha absoluta que o Universo anda a conspirar contra mim!

Tenho que ir à bruxa!

 

 

Juro que não fui eu

Li numa revista qualquer (já com umas semanas de atraso - God, ando tão desactualizada) que o Carlos Costa dos Idolos foi ameaçado de morte.

Ficou aterrorizado com 1 (uma, sim leram bem) chamada anónima que lhe fizeram!

 

Eu juro que não fui eu...

A sério!

 

 

Ele coitado, por causa disse até anda desmaquilhado na rua para não o reconhecerem! Não se faz uma coisa dessas pá... (ligações anónimas claro, não o andar desmaquilhado...)

 

 

Sequelas

Ontem, conforme combinado dirigi-me ao posto da GNR onde se encontrava o telemóvel roubado (quem não souber do que se trata, procurem a Tag ''assalto'' que agora não me apetece fazer hiperligações. Obrigada!).

Quando lá cheguei falei directamente com o agente que me tinha ligado.

Explicou-me que iriamos tentar fazer o reconhecimento policial através de fotos, mas que o mesmo não seria válido judicialmente. Posteriormente seria feito um reconhecimentos presencial.

Disse-me também que o suspeito já estava detido, por muitos outros roubos... o meu não era caso isolado.

Não me surpreendeu.

Nos dias que se seguiram àquele, eu via aquele homem em toda a gente. Todos os que se cruzavam comigo na rua, no emprego, no café... eram todos aquele homem. Sentia-lhe o cheiro em todo o lado... Não conseguia esquecer.

Era tão mau que eu me obriguei a isso... esqueci-lhe as feições para que quando fechasse os olhos não o visse. Mas lembro-me do cheiro. Da voz...

Vou lá voltar. Não vou desistir... não me peçam para esquecer. Não me peçam para seguir em frente e deixar tudo como está... que o pior já passou. Porque efectivamente não passou coisa nenhuma.

Não se trata de vingança.

Trata-se de justica.

E respeito por mim própria.

 

 

Pág. 1/4