Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por cá...

Por cá...

Help

Além tem ideias para passar o fim de semana?

Aqui no Norte note-se. E versão barata de preferência.

 

É que com esta chuva está-me a parecer que vou ficar enfiada em casa. E eu queria mesmo fazer qualquer coisa gira (e barata, já disse?) nos próximos dois dias!

 

Muchas Gracias

...

Daqui a pouco tempo completo 25 anos. Um quarto de século se preferirem... lindo!

Não consigo deixar de sentir uma ligeira frustração. Isto porque há uns anos atrás planeava outra situação para mim aos 25 anos. Situação essa que não se verifica. Falo de casa própria (ou arrendada, mas fora a asinha do pai).

A relação entre mim e ele não foi sempre boa. Aliás, é uma relação ainda complicada. Sempre estivemos juntos, zangamo-nos vezes sem conta. Desiludiu-me. Eu desiludi-o noutras vezes. Fi-lo chorar e ele fez-me o mesmo. Foi algumas (muitas) vezes injusto e houve outras tantas em que não confiou em mim. Tantas vezes senti raiva... Quem nos conhece, sabe que de toda a familia, nós dois somos os que mais chocamos um com o outro. Curiosamente e aquilo que pouca gente sabe é que ele é a pessoa que mais amo no mundo. E é nele que eu penso sempre que penso também em sair de casa. Parece estupidez (e talvez até o seja mesmo), mas eu não o quero deixar o sozinho.

E depois há ainda a questão financeira. A questão de que com um salário como o meu, que é pouco mais do que o salário mínimo nacional, eu não posso manter uma casa, no sentido de pagar renda ou prestação (nem os bancos me emprestariam dinheiro para tal, mas pronto), as contas e ainda para comer.

No entanto, digo muitas vezes ao P* que esse é um desejo meu. E esse desejo vai crescendo, crescendo... está a ser dificil esquece-lo ou nega-lo muito mais... em cada blog de decoração, em cada imagem de uma casa bonita que vejo nos vossos blogs, em cada loja que venda objectos de decoração, eu imagino um pedacinho da minha casa. Sou aquela que delira com os catálogos e folhetos da IKEA e da Moviflor, pronto...

E é por isso que tremo de cada vez que abro as notícias.

Fico angustiada de cada vez que me falam em dívida a um juro incomportável daqui a 10 anos (ora bolas, nem daqui a 10 anos pá!!), fico temerosa sempre que se falam em cortes de salários, pagamento de subsídios a título de tesouro ou qualquer outra coisa... sim, porque de certeza que o senhorio não ia aceitar o pagamento da renda em certificados de aforro.

Fico com aquele receio muidinho, a pensar que a continuar assim, saio de casa do meu pai aos 75, directa para o lar de idosos e que os pontos altos da minha vida serão os passeios com o INATEL.

Tou receosa pronto!

 

É que isto de sair de casa, mas continuar a contar com os pais para pagar as contas é muito fácil e cada vez mais na moda, mas não... não é bem esse sair de casa a que eu me refiro.

 

 

Manjericão

Já andava à algum tempo a querer comprar manjericão.

Para saladas e um sem fim de coisas boas para comer agora nos tempos de calor mas que agora não me lembro... porque ontem entretanto, lá vi no supermercado um vasinho com esta erva fresquinha, verdinha e airosa. Trouxe o manjericão e depois, na viagem de regresso olhava para o meu objecto de desejo enquanto pensava: o que é que eu vou mesmo fazer contigo???

É que todas as ideias que eu tinha varreram-se-me. lindo!

Tirando aquela saladinha básica com mozzarela, tomate e mangericão, não me lembro, assim de repente de mais nada.

Vóis, meus adorados visitantes, não têm ideias para dar aqui à menina?! Vá lá, pleeeeease!

 

 

Lá vai ela, de ''ténes''*, fresca e airosa...

Sempre gostei de desporto... fiz desporto sempre. Parei de praticar a modalidade que praticava em criança por causa de lesões, mas sempre gostei de me manter activa... embora reconheça que tenho fases de preguiça em que o rabo se cola ao sofá e eu deixo de pensar nessas coisas por uns tempos, mas depois lá volta a vontade e o entusiasmo. No ano passado tinha aulas de aeróbica duas vezes por semana. Praticamente gratuitas.

Parei com as mesmas porque entretanto comecei a fazer uma formação em que os dias de aulas eram exactamente no mesmo horário das sessões de aeróbica. Para não parar completamente, aproveitava (e aproveito ainda, sempre que posso) o passadiço maravilhoso que temos aqui na praia (onde os jogadores do meu fê-quê-pê andaram hoje) e fazia uns bons km a pé (já que o mesmo tem cerca de 17 km ao todo... eu fazia 5 para lá e os restantes de regresso). Hoje é mais um dia desses, em que vou andar pela praia fora, a aproveitar os ultimos raios de sol (da semana, pelo que parece). Isto porque estas férias serviram também para me organizar e parar de deixar as coisas que me dão prazer apenas para o fim de semana. Afinal de contas vivemos todos os dias e não apenas 2 dias em 7, certo?

 

 

 

* Uns nikezinhos, já bastante usados, mas em muito bom estado, que eu sou pobre e não tenho quem me ofereça uns MBT para ficar bela pó ''bequine''

 

 

As férias que passaram

Pois que as férias correram muito bem! Apesar do mau tempo, aproveitei para fazer coisas boas, para descansar, namorar e até passear... e comer claro. Comi mesmo muito.

Aproveitei as segundas-feiras, dia de feira semanal para dar uma volta por lá e fazer umas  compras, já que naquela feira, com uma notinha de 20€ quase que renovamos o roupeiro... e as compras variaram desde legumes e frutas frescas a algumas pechinchas para o meu armário. Na companhia do meu sobrinho (essa ganda figura) fomos enfardar um belo de um hamburguer, e combinamos logo de seguida uma ida ao cinema, com direito a pizza e pipocas! O filme eleito foi 'Rio' e deu para relaxar e rir um pouco. Já temos planos para repetir a experiência, com filme escolhido e tudo!

Manhãs de descanso a almoços em boa companhia foram coisas que fiz questão de repetir algumas vezes ao longo destes dias que passaram...

Aproveitei ainda para cuidar de mim e fui à cabeleireira deitar fim às minhas raízes pretas e às pontas espigadas. Pus a conversa em dia com alguns amigos e marquei finalmente a minha experiência Spa do voucher A vida é Bela que a Bp oferecia a 5€ no Natal. Foi o ponto alto destas férias... limpeza de pele feita, com muitas massagens de relaxamento à mistura... tratada que nem rainha e com um chá delicioso e perfumado (ainda não sei de quê, mas pronto) para finalizar a coisa...

Na quarta-feira, depois de um passeio agradável pela cidade e de um lanche delicioso numa cafetaria virada para a praia, com o mar como pano de funto descobrimos um restaurante novo e lá fomos experimentar comida vegetariana... e entre o deleite da tartelete de framboesa com creme de baunilha que escolhi para sobremesa e as risadas ao ver o sacrificio do Paulo para engolir a comida, ficou a sensaçao boa de mais um dia bem passado!

 

Sexta-feira, dia de tomar café com uma amiga especial, um café que me soube especialmente bem... e não, não foi por causa da queijada de leite que acompanhei com o café... foi mesmo pela boa companhia.

 

Sábado rumei até Castelo de Paiva para ir buscar uns familiares idosos que por lá vivem para que passassem a Páscoa connosco. Aproveitei a paisagem, o ar fresco e ainda trouxe uns legumes bem fresquinhos da horta e uns ramos de cidreira secos para um chá.

 

A Páscoa foi passada com a familia, em amena cavaqueira, com muita comida à mistura e a satisfação provocada pelos dias que passaram.

Não tenho grandes fotos, mas prometo amanhã mostrar uma ou outra das 3 que tirei :)

 

É por isto que eu acredito ser uma priveligiada

No meio onde trabalho toda a gente já conheceu ou ouviu falar da A. É um privilégio conhecer a A. Ou a Lutadora com lhe chamam.

A A é uma mulher bonita, a mais bem disposta que conheço, sempre a trabalhar, muito activa, demais até para os 3 cancros que já combateu. Que combate ainda. Prepara-se para enfrentar nova reincidência.

Sorriu triste quando me contou. E eu, sem saber o que dizer, dei-lhe a mão e limitei-me a ouvi-la .

A A. quando cá vem traz-me sempre um sorriso, um convite para um café a meio da tarde e enche o escritório de boa disposição. Uma vez, a meio de uma convera cheia de trivialidades e confidências, disse que me adora. E eu sinto-me a mais priveligiada das pessoas por ter como amiga alguém assim.

Prometeu-me um saco de amêndoas pela Páscoa, de forma a tornar o meu dia mais doce. Mal ela sabe que nem é preciso... ela já o faz por si só.

E quando eu me sinto em baixo, a acreditar que nada disto faz sentido... é ela uma das pessoas em quem eu penso. Nas força que ela tem, na coragem, na persistência, na vontade de viver apesar de tudo...

 

 

 

Boas férias para mim...

...bom fim de semana para vocês!

 

 

Sim, sim, eu sei que dá chuva e tal... mas estou com fé que seja coisinha pouca e que entretanto dê para aproveitar uns belos lanchinhos no pátio, passeios no passadiço da praia, sofá e descanso que bem preciso...

 

 

 

Suponhamos...

... que chegam a casa e encontram uma malisca toda linda e um blazer navy com que planeavam fazer furor nestes meses de Verão todos sujos, porque uma garrafa de óleo de cedro lhes caiu em cima, o que faziam?

  1. Primeiro fiquei com uma raiva capaz de partir este mundo e o outro, e mais aquele e o que aparecesse em frente...
  2. Depois pensei em atirar com aquilo tudo no lixo, engolir em seco, esperar que a raiva me passe e seguir em frente.
  3. Só que depois a raiva não passou. O blazer era podre de giro e a mala também. Vai daí pensei em tentar lavar aquilo e recuperar as minhas coisas... Só não sei é bem como. Alguém tem ideias? Detergentes, truques, mesinhas... qualquer coisa, por favor....

 A menina agradece desde já!

 

 

 

Pág. 1/3