Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por cá...

Por cá...

Conversas de restaurante

Hoje, ao final da manhã recebi uma sms do P* em que dizia que me vinha buscar à hora do almoço. Aproveitei a companhia e sugeri que almoçassemos juntos em qualquer lado. Acabamos instalados num restaurantezinho aqui perto, pelo qual sempre que eu passava comentava: 'Um dia, hei-de vir cá almoçar!' Hoje foi o dia.

Reparamos que na mesa ao lado estavam 3 pessoas que conversavam alegremente enquanto saboreavam o almoço, num tom de voz tão descontraído e satisfeito que nem repararam que as mesas imediatamente ao lado conseguiam apanhar pedaços da conversa. Eu estava numa dessas mesas e consegui perceber que os Srs eram médicos.

Enquanto degustava o meu frango frito à passarinho com arroz solto e feijão preto, os meus ouvidos apanharam pérolas como: ''...o homem sangrava pela boca desalmadamente!''; ''Tinha uma fractura exposta e aquilo era uma coisa impressionante!'' ; ''... o pior foi mesmo a expectoração!''

 

A mim não me fez mossa e como eu adoro feijão a comida soube-me lindamente.

Giro giro era a moça que estava atrás do P* na mesa seguinte... a coitada estava verde de enjoo!

 

 

Mea Culpa

Não tenho por hábito comparar-me com ninguém.

Nem fisica nem psicológicamente... costumo pensar nos meus defeitos, nas coisas erradas que fiz e aprender com elas. Comparo-me com o melhor que posso ser e tento aplicar esse conceito no meu dia-a-dia.

Mas este fim de semana tive uma atitude que me causou estranheza a mim própria... e depois arrependi-me. Do que podia não ter dito, da forma como o disse (um desabafo em jeito de ''acorda pá!'') e por envolver as pessoas que envolveu. No lugar de uma delas (e apesar da total falta de razão e de respeito que demonstra na minha opinião) eu não gostaria que me fizessem o que eu fiz. Aliás, o que eu fiz foi uma intriga pronto!

Apesar do outro lado precisar perceber no que se estava a meter e quais as intenções que moviam a primeira pessoa, eu não tinha nada que me meter. Porque por muito que me magoe ver as pessoas de quem gosto serem maltratadas, a verdade é que o assunto é familiar e não é à minha familia (para já) que pertence. E porque no fim os laços familiares falam sempre mais alto e quem se lixa é quem se meteu (eu, portanto!).

E pronto... para a próxima já sei: remeto-me ao meu silêncio e tento manter-me o mais afastada possível, não das pessoas de quem gosto, mas das situações em si!

 

 

I Love Fridays...

Ainda bem que é sexta-feira apesar do tempo.

As semanas que têm passado têm sido bastante preenchidas de trabalho e à sexta-feira o corpo e a mente ressentem-se com o cansaço. Daí também a minha ausência por estes lados.

 

Não tenho planos para o fim de semana, contudo aceito sugestões (low cost, atenção) de coisas giras para fazer e lugares giros para visitar, já que pelo tempo que tem feito, a praia não deverá ser, quase de certeza nenhum desses destinos. Com muita pena minha que eu gosto é de dormir ao sol e de ter a pele douradinha. E pior, andei a fuçar as lojas nos saldos e trouxe para casa umas coisinhas tão giras a pensar no sol e no calor do fim de semana [pausa para rir] e ''prontes''. Vão ficar quietinhas no armário, à espera de dias solarengos para vestirem este corpinho jeitoso (e de cor de lula por este andamento...).

 

Enfim, chega de palavreado que o que eu quero mesmo é desejar-vos a todos um fim de semana daqueles...

E mais um para mim também, que além de merecer, também preciso.

 

Adieu

Intimissimi Detox

Nunca fui muito poupadinha a verdade é essa! Costumava estabelecer prioridades mas como qualquer mulher, dificilmente resistia a qualquer trapinho que estivesse a bom preço e que fosse giro.

No ultimo ano, um problema financeiro trouxe-me a necessidade de reorganizar-me, de estebelecer prioridades mais exigentes e a minha vida foi mudando. Comecei a pensar no que realmente me fazia feliz: um vestido novo ou uma noite de cinema e jantar com amigos? A segunda hipótese era sem dúvida a resposta.

Precisava realmente de mais um creme se tinha tantos lá em casa abertos e sem uso? E maquilhagem? Para quê se uso apenas o básico* no dia a dia e pouco mais quando saio? Esse dinheiro seria mais bem aplicado se o guardasse para qualquer contratempo... ou até mesmo se o usasse numa saída a dois por exemplo. Vi que realmente a companhia dos amigos, da familia, um passeio de mãos dadas não podem nunca ser comprados por uns sapatos novos ou aquele vestido que sorria para mim na montra! E mesmo os jantares e as saídas mudaram: jantar fora não tem o mesmo sabor do que aquele que preparamos todos juntos em casa, uns a mandar palpites sobre os temperos, os outros a preparar a sobremesa, a mesa grande posta com as nossas coisas e no nosso espaço...

Desde há uns tempos para cá, esse tem sido o meu modo de vida: reduzi drasticamente nas compras de roupa, malas, sapatos e coisas dessas, reduzi as saídas para jantar, as saídas com o carro e por aí... comprei ontem o primeiro verniz desde há 2 meses. Eu que comprava vernizes sempre que via uma cor nova, agora penso: ''A sério Angela, mais um verniz rosa?''.

 

Mas ontem aconteceu a desgraça, o horror, a tragédia... entrei na Intimissimi com a loja toda (menos os básicos pronto) a 50% de desconto! E quem lá estava quem era? A D. Lídia (sim, esta loja é a minha desgraça, já trato as funcionárias por tu vejam lá). A D. Lídia sabe o que me fica bem, sabe o que eu gosto... é o demónio portanto!

Sim, o meu nome é Ângela, sou Intimissimiólic e já não compro lá nada desde ontem...

Comecemos então a desintoxicação...

 

*Por básico entenda-se: base, pózinho para fixar, máscara de pestanas e blush ou pó bronzeador! Tudo apenas para não chegar ao trabalho com aquele ar de peixe mal cozido.

...

Na hora de partir o bolo e distribuir a honrosa primeira fatia, entreguei-a com um enorme sorriso ao meu sobrinho!

 

Eu: Toma, é a primeira fatia e é para ti!

Ele (com ar desconfiado!): Porquê? Caiu ao chão?

 

{#emotions_dlg.confused}Desisto!