Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por cá...

Por cá...

...

Ontem tive assim uma ideia espetacular para um post.

Mas  já não me lembro do que era.

Na verdade também já não me lembro se era assim espetacular mesmo… só me lembro de ter tido uma ideia.

Pronto, era isto.

Constatações

Hoje enquanto tomava café folheei a minha agenda.

Muito trabalho, lista de compras de supermercado, lista de compras Ikea, anotações de recados ou referências multibanco para o pagamento de contas. Uma ou outra receita (mulheres! anos após a queima de sutiens e continuamos a não poder ver uma receita). E basicamente é isto que tenho andado a fazer... Quer dizer, nem isso porque nem cheguei a experimentar as receitas.

Para 2015 compro uma agenda cor de rosa. Ao menos isso.

Só naquela.

A prova de que existe maldade pura neste mundo

... é-nos dada quando compramos uma peça de roupa com o fecho éclair atrás. Nas costas.

Daqueles impossíveis de fechar sozinhos.

Desconfio até que quem inventou isto devia ser alguém muito solitário e frustrado que queria partilhar a agonia com o resto do mundo. Ou então alguém só muito mau mesmo.

 

É que nada nos faz sentir mais miseravelmente sozinhos do que tentar vestir ou despir uma blusa, um vestido, o que for que tenha um fecho desses atrás. Aprendemos a disfarçar a solidão em todas as outras ocasiões: adoptamos um gato, enfrentamos uma ida ao cinema sozinhas para vermos a sessão e o filme que queremos sem a preocupação se o outro vai gostar. Compramos livros sozinhas. Vamos ao café sozinhas... escrevemos a vidinha no facebook ou blog, só para ter a sensação de que partilhamos o nosso dia a dia com alguém...

Mas ali, na solidão do quarto, com um fecho éclair e a agonia que ele nos dá, a solidão torna-se ainda mais clara. O maldito vestido mal feito, ou feito por alguém com muita maldade naquele coraçao, esfrega-nos isso mesmo na cara.

 

Resumindo: Trouxe um vestido para experimentar à hora do almoço. Quando voltei à loja para dizer que ia ficar com ele, a vendedora ficou tão contente e orgulhosa pelo facto de eu ter gostado tanto do vestido e por ele ficar-me tão bem que já não o tirei mais.

E eu só não consegui desapertar o fecho!!

...

''Tia, o meu pai comprou-me uma 'puscina' que depois ele vai encher com água e nós vamos para lá nadar sem roupa e fazer 'pusticinas'.

 

Pronto, para quem achava que os meus dias eram deprimentes, fiquem a saber, passei-vos um manguito e vou nadar e fazer plasticinas sem roupa! Ah poizé! 

Vai buscar

...

Mandei 3 mails a 3 pessoas diferentes nos ultimos dias. Nenhuma me respondeu ainda.

3 mails!!

3 Pessoas distintas... já disse?

 

Agora a sério, onde é a festa?!

life life

Recebi uma chamada, de nº privado é claro, supostamente do Intermarché.

Um Sr gago do outro lado da linha diz-me que tinha acabado de ganhar um vale em compras de 550€. Podia ir levanta-lo quando quisesse!!

Ora que bom... eu que nunca ganho nada, hoje ganhei mercearias de um sr gago. Perdi foi tempo e paciência, mas isto não se pode ter tudo não é assim?

 

Ah, quando ele se preparava para desligar, sei lá, achei que era importante perguntar a que supermercado poderia levantar o tal vale.

Ao do Porto!

Pronto, fiquei esclarecida. Só deve haver um Intermarché em tooodo o Porto. Exactamente aquele onde eu NUNCA fiz compras...

 

Notas da minha ausência

Já comecei a escrever vários posts sobre tantos assuntos, mas ficam sempre por publicar. Ou por acabar até.

Por nenhum motivo em especial, só porque o tempo é pouco e quando eu acabo os textos, a importância do tema na minha cabeça já foi minorando e por isso acho que já não faz sentido publicar. Outras vezes é porque enquanto escrevo, vou tomando consciência da verdadeira dimensão do ‘’problema’’ e acabo por apagar. E é aqui que tomo consciência de como às vezes vamos dar importância a coisas que, na verdade, após pensarmos com razão e com calma, vemos que na verdade não têm importância nenhuma. Por isso é que este blog serve como terapia… ainda que no fim clique em delete e que não vejam novidades aqui. 

 

 

...

Ando terrivelmente cansada... esgotada mesmo.

Sem forças ou cabeça para o que quer que seja. E a cada dia que passa, sinto cada vez mais que sou um bocado o saco de pancada da vida dos outros (sim, parece estranho mas é verdade!!)

Em volta só vejo gente que reclama por tudo e por nada, reclamam os horários, dos afazeres, dos namorados/ maridos, de tudo. Ontem vi uma Sra no balcão de atendimento ao cliente a pedir para fazer uma reclamação porque os iogurtes que ia comprar estavam esgotados (às 20h). Tanta gente que gasta energia e vê problemas onde eles não existem e eu já não tenho forças para reclamar, nem energia para o que quer que seja. Estou cansada e triste.

De muita coisa e o pior: de muita gente também!