Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por cá...

Por cá...

Menos minha gente, muito menos...

(Marylin Monroe)

 

No ínicio da Primavera, vi na montra de uma conhecida loja, um vestido preto. Achei-o lindo e pensei logo ''um dia vais ser meu!''

Parei na loja assim que tive oportunidade e comprei o dito. Simples, assimétrico como agora se usa, preto e leve. Ideal para usar em qualquer ocasião (dizem as fashionistas)...

Estava o dito vestido preto no armário há tanto tempo e ontem, depois de atirar para o ar o tão típico: ''Não tenho nada para vestir!'' lembrei-me da velha máxima ''De preto nunca me comprometo!'' e lá retirei o dito vestidinho do armário. Tinha um almoço com colegas de trabalho, depois um jantarinho com a mana no final do dia... o vestido preto pareceu-me portanto uma óptima opção.

E foi demais... foi levar com os colegas a perguntar onde é que eu ia, se havia namoro novo (mas quem é que em pleno séc XXI pensa que nós, mulheres, nos vestimos e nos arranjamos para agradar a um homem?! E ainda por cima tratando-se de mim?! Ahhh doce ignorância...) e mais uma catrepada de disparates do género.

Ora, se eu estava bonita com o dito vestidinho, agradeço desde já. E sim, ele é giro que se farta, por isso é que dei 35€ por ele.

Mas, por favor, menos sim?! É que eu sou uma moça timida e essas coisas, acabei por ficar ''sem jeito''. Obrigada pela compreensão!

A Mulher do Demo

A minha professora de aeróbica é diabólica. A encarnação do Demo só pode... Debaixo daqueles caracolinhos loiros e do seu ar angelical, esconde-se o mafarrico, himself.

Tortura-me com steps e colchões de yoga e depois, às 23:30h envia-me sms a programar jantaradas...

Isso não se faz...

1922-2010

Tentei escrever este post mais do que uma vez. Desisti porque qualquer palavra que aqui colocasse sobrava. Ficaria aquém daquilo que se poderia dizer sobre Saramago.

Ao longo do tempo, desde que tomei contacto com ''O Evangelho segundo Jesus Cristo'' fui ouvindo criticas, alvores, desdéns e paixões... era um homem que despertava sentimentos extremos nas pessoas. Ou o amavam [como eu] ou o odiavam.  E havia ainda aqueles que nunca lhe tinham lido uma unica palavra, mas que afirmavam com o maior desprezo que de facto detestavam... era confuso (?) e com a ausência de pontuação, tornava-se impossível ler qualquer coisa que ele escrevesse (?).

Eu sou daquelas que o adoravam... além dos livros. Adorava aquela tenacidade, o sarcasmo e a ironia. A assertividade, a inteligencia que emanava...

Estamos todos mais cegos, é só o que eu sei. E o mundo mais pobre.

 

 

 

7-0... Lindo!

Alapei o rabo na cadeira, com o prato de bacalhau à frente e jurei que só saia dali quando o Cristiano marcasse! Impliquei com o moço pá!

E vieram 6 e eu continuava... ''O Cristiano vai marcar!''

E marcou.

E eu era menina para atravessar o campo a correr, pendurar-me no pescoço do moço e dar-lhe 2 beijos na boca! Mentira. Um abracinho discreto no fim do jogo vá.

 

Ao Queiróz fazia-lhe uma careta... não é com um 7-0 que me compra!

...

A minha cama é grande. Há uns anos atrás, lembro-me de sermos 3 a dormir nela. Lembro-me de convidar as minhas amigas e de nesses dias, sermos ainda mais. Todas juntas na conversa... dormíamos já quase de manhã.
Depois o meu mau feitio começou a revelar-se e hoje já não cedo a minha cama a ninguém. As visitas dormem na cama das visitas. Ou na pior das hipóteses, no sofá.
Até que ela chegou cá a casa.

E agora apodera-se de tudo. Começou pelo meu coração e nem a minha cama escapou. É que ela não ocupa um pedacinho da cama. Nem tampouco um ladinho apenas... é mesmo a cama toda! E eu que me amanhe...

 

(bem no centro... do género ''I'm tha boss cá do sitio!''