Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Por cá...

Por cá...

Poupança

 

Tenho vindo a reflectir muito sobre a palavrinha que dá título ao post. 

Muito se tem escrito sobre ela, muitas dicas por aí fora, muitos textos, desafios, dicas e coisa e tal. 

Mentiria se dissesse que sou uma moça poupada. Não sou. Confesso que não tenho uma poupança e considero isso uma grande falha e que constituir uma é neste momento outro dos meus grandes objectivos para 2017. E confesso ainda que não tenho uma boa relação com o dinheiro.

Tenho lido de tudo, desde dicas que considero uteis e desafios interessantes, mas também tenho lido coisas que me parecem demasiado fundamentalistas. Irei poupar porque preciso e quero sentir-me mais segura no dia a dia caso aconteça alguma coisa. Se o carro avariar por exemplo, quero sentir a segurança de ter algum dinheiro de parte que me permita repara-lo. Ou se ficar doente de novo. Ou se aparecer algum contratempo. Como já aconteceu e me fez ter que recorrer ao dinheiro a crédito, o que resultou em divida. Divida essa que me encontro a pagar, mas que não a teria neste valor, ou até de todo se tivesse alguma poupança.

Pergunto-me a que preço muita gente por esta blogosfera fora poupa dinheiro. Não estou a falar de pessoas a passar por dificuldades sérias, que sei que as há e aí entendo. Estou a falar de pessoas que querem poupar e fazem de tudo para o conseguirem. Já li de tudo e muitos dos posts dão a entender que estas pessoas se privam de... praticamente tudo. 

Deixar de ir ao café, trazer marmitas de casa, deixar de comprar muitos produtos no supermercado, deixar a tv por cabo, não usar carro... coisas que eu percebo perfeitamente. O que não entendo bem são os posts auto-punitivos quando alguma destas metas é quebrada. 

Não trabalharemos nós também para nos permitirmos algumas coisas? 

Sim, eu quero poupar, mas confesso que de vez enquando (não sempre, claro), quero poder ir ao café com a colega. Ir jantar fora com os amigos, ver as minhas séries no canal da tv por cabo e não me quero sentir culpada por isso. Ao ler a maior parte dos posts nestes blogs de poupança, sinto-me uma esbanjadora porque comprei uma lata de leite de coco 10 centimos mais cara na mercearia do que no supermercado. Não esperem, sinto-me uma esbanjadora porque comprei uma lata de leite de coco, basicamente. Produto perfeitamente dispensável. 

Eu sei que nestes tempos, tendemos sempre a confundir o conceito de consumo com consumismo e que são duas coisas perfeitamente diferentes. E que é muito fácil sair de uma lógica em que as experiências são mais importantes e passamos a focar-nos nas 'coisas'. Vai acontecendo devagar e quando damos conta, preferimos ir fazer compras ao shopping em vez de passear ao ar livre, ir ao cinema, ao teatro... E eu sentia-me um pouco assim, tanto que começava a ler blogs e artigos sobre o assunto da poupança, mas rapidamente esmorecia. Tinha tomado um café nessa manhã e por isso tinha gasto dinheiro desnecessário, sentia-me culpada de cada vez que fazia uma compra, fosse ela de que valor fosse. E essa culpa fazia-me sentir péssima, tinha que arranjar justificação para tudo, mas mesmo tudo o que comprava, acabava por desmotivar, sentir-me mal e lá acabava eu por comprar qualquer coisa para tapar a nódoa que me sentia. E de cada vez que comprava, sabia que havia alguma coisa errada, mas o prazer momentaneo da compra ajudava a desbotar um pouco essa sensação. 

Mas adiante que o post já vai longo, para 2017, um dos objectivos é poupar e melhorar a minha relação com o dinheiro. Ser mais consciente nas compras, nos gastos e poder viver os meus dias de forma a sentir menos culpa. Tudo ao meu ritmo e da forma que fizer mais sentido para mim.

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D